Sente dores no ombro ou cotovelo? Agende conosco - Seg à Sex - 08:00h - 19:00h

Fratura de fêmur

Fratura de fêmur

A fratura de fêmur é uma condição muito comum entre os pacientes e que, infelizmente, pode trazer complicações severas. Principalmente quando o paciente já é idoso, a osteoporose, caracterizada pelo enfraquecimento ósseo, e outras doenças associadas aumentam o risco de fraturas que, quando não tratadas, podem até mesmo levar ao óbito.

 

Porém, não somente os idosos fazem parte do grupo de risco para esse tipo de fratura. Crianças, jovens e adultos também sofrem com a lesão, principalmente após um trauma de alta energia.

 

Como a dor é o principal sintoma, o paciente deve ficar atento a qualquer incômodo que surja na região do fêmur. Afinal, a consulta com o ortopedista logo nos primeiros momentos faz toda a diferença no tratamento e aumenta as chances de uma piora no quadro geral do paciente.

 

 

Quais são os tipos de fratura do fêmur?

 

A fratura pode ser de cabeça femoral, do colo femoral, da região trocanteriana ou região subtrocanteriana. Por isso, a avaliação do ortopedista é importante para determinar o local exato da lesão e indicar o tratamento mais adequado.

 

Embora existam diversas classificações entre a comunidade médica, a mais utilizada para a fratura de fêmur é a classificação de Garden. Seu princípio divide as fraturas da seguinte forma:

 

  • Tipo I – incompleta e impactada;
  • Tipo II – completa sem desvio;
  • Tipo III – completa com desvio parcial e;
  • Tipo IV – fratura com desvio completo do foco da fratura.

 

Essa classificação é utilizada para determinar a gravidade e o tipo de fratura, norteando o protocolo de tratamento que será utilizado para os cuidados do paciente.

 

 

Quais são os principais sintomas de fratura do fêmur?

 

Por tratar-se de uma lesão causada pelo enfraquecimento ósseo ou por algum trauma, como quedas e acidentes dos mais variados tipos, o principal, mais intenso e frequente sintoma é a dor. Ela surge logo no momento em que acontece a fratura e, além de se tornar mais intensa caso o paciente não procure o auxílio médico imediatamente, ela pode também irradiar para outras regiões do corpo.

 

Os edemas (inchaços) também são frequentes, bem como a limitação de mobilidade. Os sintomas pode variar de acordo com a região lesionada.

 

 

Tipos de fratura e tratamento

 

Fratura do colo do fêmur

 

Em quase 100% dos casos, as fraturas na região do colo do fêmur precisam de intervenção cirúrgica. Um dos procedimentos mais comuns é a osteossíntese, realizado com parafusos canulados. Trata-se de um procedimento pouco invasivo e muito rápido de ser realizado.

 

Fratura da cabeça do fêmur

 

Já este tipo de fratura de fêmur é menos frequente, sendo causada, na maioria das vezes, por acidentes de carro. O impacto do painel do veículo contra o joelho causa a lesão e ela pode ser associada à luxação. Dessa forma, o tratamento priorizado é a redução incruenta em caráter de urgência. Em seguida, o ortopedista realiza os exames necessários para dar continuidade ao tratamento.

Fratura de fêmur trocanteriana

 

As fraturas trocanterianas são caracterizadas pelo comprometimento da região entre o pequeno e o grande trocanter. Elas são mais comuns em pacientes idosos e que já sofrem com a osteoporose. Geralmente, o tratamento envolve a fixação interna por meio da artrosplastia do quadril. O objetivo é estabilizar a região por meio da imobilização.

 

Fraturas subtrocanterianas

 

Por último, as fraturas subtrocanterianas são relativamente raras, atingindo cerca de 15% dos casos. Elas são causadas por traumas de alta energia e podem ocorrer em paralelo com outras lesões, causando sintomas como a dor, edemas e hematomas.

 

A cirurgia também é indicada para este quadro, embora o procedimento possa ter complicações como a trombose, embolia pulmonar e pseudoartrose. Dessa forma, é imprescindível que o paciente faça uma escolha minuciosa do profissional que vai realizar a cirurgia para aumentar as chances de sucesso.

 

De forma geral, pode-se dizer que as fraturas de fêmur precisam, em sua maioria, de intervenção cirúrgica. Os procedimentos são associados ao uso de medicamentos e, em seguida, de fisioterapia para recuperar a mobilidade da região.

 

 

Quanto custa o tratamento da fratura de fêmur?

 

Infelizmente, a fratura de fêmur é caracterizada como um quadro complicado, com um tratamento extenso e que exige muito do paciente. Sendo assim, os custos totais podem variar muito de acordo com o paciente e a gravidade da lesão. O orçamento é sempre tratado diretamente com o ortopedista e caracteriza os cuidados essenciais para que você possa recuperar a sua qualidade de vida.

 

Esse tipo de fratura exige o tratamento imediato, significando que, quanto mais cedo você procurar um ortopedista especializado, maiores são as chances de se livrar dos sintomas e garantir a recuperação óssea. Escolher um profissional renomado e com experiência na área da saúde pode fazer toda a diferença no seu tratamento.

 

Por isso, não perca mais tempo! Entre em contato agora mesmo para agendar a sua consulta com o melhor ortopedista da região.

(67) 99931-0077

kauegimenes6600@gmail.com

End. Rua Alagoas , 396, sala 902 , Edifício Atrium Corporate
Jardim dos Estados, Campo Grande - MS

Convênios Ortopédicos

Convênio Bradesco Saúde
Convênio CASSEMS
Convênio Força Aérea Brasileira
Convênio FUSEX
Convênio GEAP Saúde
Convênio IMPCG
Convênio Marinha do Brasil
Convênio OMINT
Convênio Santa Casa Saúde
Convênio Saúde CAIXA
Convênio UFMS
Convênio Unimed

Horários


Segunda-Feira

Terça-Feira

Quarta-Feira

Quinta-Feira

Sexta-Feira

Sábado

Domingo

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

Fechado

Fechado

Endereço Clínica Dr. Kaue Gimenes Ortopedista
Feito com ♥ e estratégia por Sunset Agência de Marketing - 2020

Fale Conosco!

Clique para chamar no WhatsApp