Sente dores no ombro ou cotovelo? Agende conosco - Seg à Sex - 08:00h - 19:00h

Fratura de perna

Fratura de perna

Comum para todas as idades e pacientes, a fratura de perna é uma lesão que pode atrapalhar consideravelmente a sua rotina. Afinal, ela não apenas causa dor, como também pode trazer consequências severas e prejudicar a mobilidade, atrapalhando seu trabalho, sua vida pessoal e a sua vida como um todo.

 

A tíbia, o osso da canela, é a principal estrutura da perna, responsável por suportar cerca de 80% do peso corporal. Ou seja, é ela que garante nossa habilidade de ficar em pé, andar, nos mantermos estáveis e muito mais! Enquanto isso, a fíbula, outro osso da perna, também recebe 20% de impacto da carga. Logo, a estrutura formada entre os dois ossos é muito importante para a nossa saúde.

 

Quando existe uma fratura óssea, o paciente sofre com a dor, inchaços e a limitação de mobilidade. O problema é que nem sempre esse paciente procura um ortopedista imediatamente. Quando não tratada, a lesão pode evoluir para um quadro mais severo e até mesmo trazer sequelas permanentes.

 

Sendo assim, é de vital importância que o paciente saiba reconhecer não apenas as causas e características da fratura, mas também os seus sintomas e os métodos de tratamento mais comuns. Dessa forma, você garante um tratamento o mais rápido possível e aumenta as chances de uma recuperação completa.

 

 

Como acontece a fratura na perna?

 

Quando a perna quebra, geralmente a fratura acontece na tíbia, mas pode afetar também a fíbula. Ambos os ossos da perna podem ser divididos em três segmentos, sendo eles:

 

  • O segmento proximal (planalto tibial), que articula com o fêmur na região do joelho;
  • O segmento diafisário (intermediário), constituído pelo eixo longo do osso e;
  • O segmento distal (pilão tibial e maléolos), que se articula com o tálus na região do tornozelo.

 

A fratura pode acontecer em qualquer um desses segmentos e torna imprescindível a intervenção médica o mais rápido possível. Quando a perna quebra, a lesão causa dores incapacitantes e podem até mesmo serem fraturas expostas, aumentando as chances de infecção e complicações subsequentes.

 

O trauma geralmente é a causa da fratura. Quedas, acidentes, sobrecargas e outros tipos de trauma de alta energia causam a fragmentação do osso, principalmente na população mais jovem. Em contrapartida, idosos que sofrem também com a osteoporose correm mais riscos de lesão, visto que existe um enfraquecimento ósseo.

 

 

Quais são os sintomas de fratura na perna?

 

Logo após o trauma, o paciente sente uma dor que pode chegar ao nível intenso e fica incapaz de andar ou se sustentar sobre a perna lesionada. No caso de fraturas expostas, o osso corta a pele e os riscos de infecção são muito altos, ressaltando-se a importância de procurar o médico para atendimento imediato.

 

Além disso, podem surgir também inchaços e manchas negras na perna, indicando a presença de hemorragia interna. A dor pode irradiar para os pés e coxas, e, quando os nervos e tendões são afetados, podem-se ter complicações neurológicas.

 

O paciente deve ser levado até o ortopedista imediatamente para que se possa fazer o diagnóstico e dar início ao tratamento em caráter de emergência.

 

 

Como é o diagnóstico da fratura de perna?

 

Assim que entra em contato com o paciente, o ortopedista vai avaliar a gravidade da fratura e já fazer as intervenções necessárias para que a lesão não cause uma complicação ainda maior. A imobilização sempre faz parte do tratamento, de acordo com o período indicado pelo médico, para que o osso possa se recuperar.

 

O ortopedista toma especial cuidado com a avaliação de partes moles, como a pele, os músculos, tendões e vasos sanguíneos. Por meio de exames de sensibilidade ao toque e mobilidade, verifica-se a perfusão sanguínea e a temperatura para a escolha do melhor protocolo de atendimento.

 

Além disso, o médico avalia também a presença de lesões associadas aos outros segmentos do corpo. Como exames complementares, pode-se solicitar a realização de radiografias e tomografias.

 

Assim que o ortopedista compreende melhor o quadro do paciente, pode-se dar início ao tratamento.

 

 

Como é o tratamento para a fratura de perna?

 

O tratamento pode variar de acordo com cada paciente a gravidade do quadro, podendo ser clínico ou cirúrgico.

 

Na maioria dos casos, as fraturas menores e estáveis, com pouco desvio, podem ser tratadas sem a necessidade de cirurgia. O ortopedista indica a imobilização com o gesso, garantindo a estabilidade da região para evitar desvios inadequados. O tratamento é complementado ainda com o uso de medicamentos para atenuar os sintomas e aumentar o conforto do paciente.

 

Em contrapartida, fraturas mais severas podem precisar da cirurgia com uso de placas e parafusos, fixadores, hastes intramedulares bloqueadas ou flexíveis. Tudo depende da indicação do ortopedista.

 

O tempo médio de recuperação gira em torno de 8 a 12 semanas e deve ser acompanhado de perto pelo ortopedista.

 

Quer saber mais sobre a fratura de perna e como você pode começar a se recuperar agora mesmo? Agende sua consulta!

(67) 99931-0077

kauegimenes6600@gmail.com

End. Rua Alagoas , 396, sala 902 , Edifício Atrium Corporate
Jardim dos Estados, Campo Grande - MS

Convênios Ortopédicos

Convênio Bradesco Saúde
Convênio CASSEMS
Convênio Força Aérea Brasileira
Convênio FUSEX
Convênio GEAP Saúde
Convênio IMPCG
Convênio Marinha do Brasil
Convênio OMINT
Convênio Santa Casa Saúde
Convênio Saúde CAIXA
Convênio UFMS
Convênio Unimed

Horários


Segunda-Feira

Terça-Feira

Quarta-Feira

Quinta-Feira

Sexta-Feira

Sábado

Domingo

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

08:00h - 19:00h

Fechado

Fechado

Endereço Clínica Dr. Kaue Gimenes Ortopedista
Feito com ♥ e estratégia por Sunset Agência de Marketing - 2020

Fale Conosco!

Clique para chamar no WhatsApp